top of page
Buscar
  • Foto do escritorAmanda Costa

Seminário de educação chama atenção para os impactos do racismo no desenvolvimento infantil

Chefe de Educação do UNICEF Brasil fala sobre a iniciativa Primeira Infância Antirracista - PIA.



O racismo pode começar desde cedo na vida de uma criança, seja através de comentários discriminatórios, exclusão social ou até mesmo violência física. Essas experiências negativas podem ter efeitos duradouros na autoimagem e no bem-estar emocional, podendo gerar questionamentos sobre sua própria identidade e sentimento de inferioridade por causa de sua cor de pele ou origem étnica.


Para enriquecer a discussão e levantar reflexões sobre os impactos do racismo estrutural na vida social e no desenvolvimento infantil, e visando a importância de debater o assunto, a Undime convidou a Chefe de Educação do UNICEF Brasil, Mônica Pinto, para falar sobre a iniciativa Primeira Infância Antirracista - PIA.


A estratégia PIA (Primeira Infância Antirracista) tem o objetivo chamar a atenção de profissionais brasileiros da educação, assistência social e saúde sobre os impactos do racismo no desenvolvimento infantil. A iniciativa também garante um atendimento humanizado, levando em consideração as especificidades étnico-raciais das crianças e suas famílias.


Mônica explicou que, ainda na primeira infância, as crianças começam a entender as relações e são impactadas com o desconforto gerado pelo preconceito, que reflete no desenvolvimento emocional, afetando a autoestima, autoconfiança, saúde mental e gerando dificuldade de socialização.



Além de impactos na saúde física e mental, a discriminação racial pode limitar o acesso a educação de qualidade, serviços de saúde adequados e oportunidades de emprego. Isso cria um ciclo vicioso de desigualdade, no qual as crianças negras têm menos chances de ter sucesso na vida adulta, perpetuando assim a desigualdade racial.


Diante desta realidade, a estratégia PIA oferece materiais informativos a fim promover práticas antirracistas, melhorando serviços básicos como o atendimento às gestantes, crianças negras e indígenas de até 6 anos e seus familiares.


A iniciativa desenvolveu quatro cadernos setoriais, uma cartilha parental de bolso, uma websérie sobre parentalidade antirracista com influenciadores e especialistas, cards e vídeos para as redes sociais, além de promover oficinas presenciais de sensibilização e mobilização nos territórios da #AgendaCidadeUNICEF.

Conheça o PIA em: unicef.org/brazil/pia


Comentários


bottom of page